Outono

Primeiras névoas de outono em Jaú
Anúncios

A sombra da concorrência

Enquanto isso, durante uma apresentação na sede da Microsoft, em São Paulo….

Primeiras impressões com a Canon G12

Há um diz-que-diz-que em fotografia segundo o qual parte dos clientes da Canon são mais do que isso. Tornam-se fãs, tal como os da Apple.

Pois bem.

Sempre usei equipamentos Canon. Menos por algum tipo de ideologia e mais porque foi o equipamento que primeiro comprei, ao qual me acostumei e ponto. Tive uma A-1, câmera de

primeira linha, funcionamento de relógio suíço; depois, uma EOS-10QD, companheira de algumas viagens; entre as digitais, a penúltima foi uma XTi, idem excelente, pouca aberração cromática, uso intuitivo.

Mas confesso que a G12 me surpreendeu.

O visual levemente retrô ajuda, dá um certo charme…mas o que dizer de uma câmera compacta com tal nível de qualidade de cor, ótimos recursos de programas e de uma robustez surpreendente?

Câmera lembra antigas compactas

Lixeiras na Unesp/Bauru

A Canon acertou muito no acesso às funções, praticamente todas à mão, sem exigir navegação por menus na tela. Facilita e torna o trabalho bastante rápido. Os 10 megpixels de resolução são mais do que suficientes e o prometido desempenho com pouca luz FUNCIONA.

O zoom ótico é relativamente pequeno (28-140mm) quando comparado a alguns lançamentos recentes, como a Lumix Fz100 (24x zoom ótico) ou mesmo a Canon Sx30 Is (35x ótico!!), mas o ganho em qualidade de imagem compensa.

Ainda em teste, algumas macro aqui, outras panorâmicas acolá, mas dá para saber que a G12 ganha quem a utiliza. A ver.

O

Macro